profile cover
2.00%
Compartilhar

Criado em 15/05/2018

Adalberto Imbrósio

Cargo Pretendido:
Deputado Federal - DF

Filiação Partidária:
PRP

Dias restantes

-166

R$ 50.000,00
Objetivo
R$ 1.000,00
Arrecadado

Contribuir

Por que quer ser candidato?

A certeza de poder contribuir com experiência e capacitação juntamente com outros brasileiros igualmente capazes e íntegros por um Brasil melhor, bem como da necessidade de renovação política, em face de um modelo político, do toma lá dá cá, falido, que já se arrasta há décadas.

Pautas e bandeiras defendidas

1- Segurança Pública

Contribuir para atuação integrada das polícias militar e civil no Distrito Federal e nos demais Estados brasileiros, estimulando a evolução das áreas de inteligência nas polícias e entre elas, bem como o uso de recursos tecnológicos como instrumentos de prevenção, combate e solução de crimes. Trabalhar para que se estabeleça permanentemente programa de capacitação dos policiais, além de fornecer os meios necessários ao bom desempenho da atividade policial. Restabelecer à equiparação remuneratória histórica entre a Polícia Civil do DF e a Polícia Federal, haja vista que ambas são polícias judiciárias, além de serem organizadas e mantidas pelo mesmo Ente da Federação, a União.

2- Autonomia do Fisco, das Polícias Federal e Civil e das Controladoria Geral da União e dos Estados

Os Auditores Fiscais que compõem o Fisco brasileiro, as Polícias Federal e Civil, além dos Auditores de Controle desempenham funções típicas de Estado em favor da sociedade. E, nesse sentido, o funcionamento delas não deve estar sujeito à interferência de Governos, pois que isso pode causar danos irreparáveis à sociedade, prejudicando o adequado funcionamento do sistema de freios e contrapesos, sistema fundamental para a sustentação e desenvolvimento da democracia.

A interferência de qualquer governo, por vezes, pode prejudicar investigações de crimes graves envolvendo elevadas quantias de recursos públicos desviados, que na maioria dos casos são perdidos, causando prejuízos irreparáveis à população na prestação de serviços essenciais, como saúde, educação, segurança, além de outros.

Os órgãos mencionados exercem fundamental papel na prevenção, auxílio e combate aos crimes contra a administração pública, em especial, nos crimes contra ordem financeira, tributária, orçamentária e de lavagem de dinheiro/branqueamento de capitais, este último, inclusive, relacionado com a prática de crime de terrorismo.
Assim, é fundamental que os Auditores Fiscais, os Policiais Federais e Civis, além dos Auditores da Controladoria Geral da União e os Auditores de Controle Estadual e Distrital atuem com autonomia.


3- Política de Estado de Recursos Humanos direcionadas aos servidores públicos

Atuação no sentido de desenvolver uma política de Estado aos servidores públicos das diversas Carreiras existentes, a fim de determinar o quantitativo adequado de recursos humanos, levando-se em conta sempre os recursos tecnológicos à disposição, a capacitação para ingresso, à estruturação em Carreiras que permitam aos servidores estarem motivados durante todo o ciclo de trabalho que prestará à sociedade, de seu ingresso à aposentadoria.

Desenvolver um programa de capacitação permanente para todos os servidores, levando em conta as especificidades de cada atividade desempenhada. Atuar para uma Política remuneratória adequada permanente, tudo isso com vistas à excelência dos serviços públicos a serem ofertados à sociedade e à dignidade do servidor público.

4- Criação de Órgãos de Controle Externo ao Poder Judiciário e ao Ministério Público

Ao mesmo tempo em que sabemos da importância de termos um Poder Judiciário e um Ministério Público autônomos, não se pode aceitar que essa autonomia se transforme em proteção àqueles que cometem desvios e crimes em sua atuação.

Assim como ocorre com o Poder Executivo que sofre Controle Externo pelos Poderes Legislativo e Judiciário, com o Legislativo que sofre Controle Externo pelo Judiciário, também o Poder Judiciário e o Ministério Público devem sofrer Controle Externo de Órgãos que não integrem a sua estrutura, modificando o atual sistema onde o Judiciário é controlado pelo Conselho Nacional de Justiça- CNJ e o Ministério Público pelo Conselho Nacional do Ministério Público – CNMP.

Assim, o Controle externo do Judiciário e do Ministério deve ser feito por órgãos externos as suas estruturas, que a elas não estejam subordinados. A composição desses órgãos de controle deve ser por pessoas da sociedade de diversas outras profissões, sempre atentando para a importância de um único mandato não superior a 4(quatro) anos.

Propostas

1- Reforma Política com atuação mínima nas seguintes frentes:

• Substituição de todas as formas de Patrimonialismo/Clientelismo por Meritocracia. Cita-se como exemplo o fim da indicação dos Ministros do STF, dos demais Tribunais Superiores do Judiciário pelo Presidente da República com a ratificação do Senado.

Devendo essas indicações serem substituídas por um processo de escolha dentre os cargos das carreiras da Magistratura Estadual e Federal, mediante critérios objetivos de progressão e promoção funcional, além de títulos, tudo previamente estabelecido.

• Fim da Imunidade Formal dos Parlamentares, que impõe autorização prévia da respectiva Casa Política do parlamentar desde a sua diplomação para que este possa vir a ser processado e julgado em relação ao cometimento de crimes cometidos na vigência de mandato.

• Redução da quantidade de Municípios com aglutinação de dois ou mais formando um novo;

2- Reforma Tributária que contemple pelo menos:

• Simplificação do atual sistema, com a redução do quantitativo de tributos existentes;

• Substituição do modelo regressivo, onde se tributa mais consumo e produção, para o progressivo onde se tribute mais a renda, patrimônio, lucros e dividendos de sócios e acionistas.

• O fim da concessão de benefícios fiscais sem a correspondente contrapartida à sociedade, utilizado na maioria dos casos para beneficiar poucas empresas ou algum seguimento em devolução de favor de financiamento de campanha eleitoral.

• Correção pelo índice de inflação anual da tabela do Imposto de Renda pessoa física, a fim de evitar enriquecimento sem causa do Estado.


3- Atuação e colaboração para a formação de um novo modelo econômico que:

• Impulsione os detentores do capital a empreender em indústria, serviço e comércio, ao invés de manter seu dinheiro no mercado financeiro, a fim de gerar empregos, renda e riquezas para a sociedade.

• Proponha a desregulação e a desburocratização das relações entre Estado e particular, facilitando a abertura e encerramento de empresas, a concessão de alvarás de construção e habite-se;

• Confira segurança jurídica às relações jurídicas, ou seja, onde as regras vigentes sejam respeitadas, permitindo que os particulares empreendedores possam planejar e executar projetos de investimentos de médios e longo prazos e que isso possa repercutir em geração de emprego, renda e riqueza para o país;

• Gradualmente haja a migração do modelo de transporte de produtos/mercadorias do rodoviário para o ferroviário, fazendo com que haja redução do custo de produção, com redução de combustível, frete, seguro, manutenção, perdas, depreciação e consequentemente haja efetiva redução do preço de venda para os consumidores do mercado interno, além da redução do custo Brasil, o que aumentará a competitividade das empresas brasileiras no mercado internacional.

4- Atuação legislativa propositiva no sentido de avaliar, rever e reformar o sistema penal, penitenciário e processual penal, concebendo um modelo que permita recuperar o dinheiro público desviado, reduza à impunidade, com a formação de uma cultura em que o crime não compense.

Histórico

Nascido em 1970 no Rio de Janeiro, no morro do juramento, filho de Waldir e Valdina e irmão de Tôni, Sabrina, Gilberto, Roberto e Helio. É casado com Andrea e pai de Gabriela e Caio Roberto, ambos brasilienses.

É Ex-Militar de Carreira da Força Aérea Brasileira, tendo ingressado na EPCAR em 1986. Atuou informalmente como garçom num bar do RJ por 1(um) ano. Em seguida ingressou na EEAR em julho 1991, formando-se Sargento Especialista da Aeronáutica no final de 1992, onde permaneceu e atuou por praticamente 11 anos.

Atuou, ainda, no campo cultural e artístico, como cantor profissional, tendo estudado canto na escola de música de Brasília, com atuação em Brasília, RJ e SP.

Graduou-se em Ciências Contábeis em 1999 pela Faculdade Moraes Júnior-RJ. Em 2001, após trajetória intensa de estudos fora aprovado em diversos concursos da área de fiscalização tributária, tendo trabalhado como Auditor Fiscal de Alagoas e Auditor do Tesouro de Natal pelo período de 1(um) ano. E já atua há 15 anos como Auditor Fiscal da Receita do Distrito Federal. Foi aprovado também nos concursos de Analista de Finanças e Controle da CGU e Auditor do Estado de Goiás, não tendo assumido nenhum dos dois.

Em 2006, concluiu a Pós-Graduação Lato Sensu em Direito Tributário aplicado à Gestão Pública na Faculdade NDA no DF. Em 2010, graduou-se em Direito em Brasília pela Faculdade Projeção.

Ministrou aulas em algumas instituições preparatórias para concurso público em Natal-RN e em Brasília-DF, nas áreas de Contabilidade e Auditoria de 2002 a 2005.

Cursou com aproveitamento todas as disciplinas do Mestrado em Direito pela Universidade Autônoma de Lisboa, Portugal. E está em fase de elaboração do Projeto de Dissertação para posterior Defesa. Está cursando também o Doutorado em Direito pela Universidade Autônoma de Lisboa- Portugal, estando na fase de conclusão das disciplinas.

Já no desempenho de atividades de fiscalização tributária, exerceu Auditoria e Perícia Fiscal nos impostos de competência Estadual e Municipal, bem como realizou julgamentos de processos de jurisdição voluntária e atendimentos diversos aos contribuintes. Trabalhou ainda na Fiscalização de Mercadorias em Trânsito de ICMS.

Exerceu, ainda, por 4(quatro) anos a presidência do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita, SINAFITE-DF, onde atuou não só em prol dos interesses da Carreira Tributária, mas também contribuiu efetivamente com alguns projetos relativos à política tributária e ao desenvolvimento econômico do DF.

Siga-me nas redes sociais


Transparência


CPF Doador Valor Forma de Pgto. Data Pgto.
116.821.347-92 Renato Pinto Oliveira R$ 450,00

Cartão de Crédito

28/07/2018
025.398.497-17 Alex Messias Dantas R$ 400,00

Cartão de Crédito

12/06/2018
033.890.507-36 Silas Batista Dos Santos Filho R$ 150,00

Cartão de Crédito

24/05/2018